Tudo sobre o Enem 2019 Exame Nacional do Ensino Médio

Atualizado em: 24.08.2018

by Enem 2018 on 24/08/2018

in Enem, Enem 2019

Veja aqui tudo o que precisa saber sobre o Enem 2019! Todos os estudantes que vão participar das provas do Enem 2019 (Exame Nacional do Ensino Médio) precisam conhecer os detalhes do teste que é aplicado em nível nacional, a aproximadamente 7 milhões de estudantes anualmente. Um bom aproveitamento pode garantir a conquista de uma vaga em um curso superior.

Com o passar dos anos, o Exame Nacional do Ensino Médio sofreu importantes modificações e ganhou diferentes atribuições, o que contribuiu para que se tornasse bem mais concorrido, se consolidando como a principal porta de acesso ao ensino superior no Brasil.

Evolução do Enem ao longo dos anos

Evolução do Enem ao longo dos anos

Criado pelo Governo Federal no ano de 1998, o Enem servia exclusivamente como um instrumento de avaliação do domínio de competências pelos estudantes que estavam concluindo o ensino médio.

Com a participação voluntária, sem obrigatoriedade, o Exame registrou aproximadamente 157 mil inscrições em sua primeira edição. Uma crescente no número de inscritos foi notada no ano de 2001, quando os alunos oriundos de escolas da rede pública começaram a ser isentos do pagamento da taxa de inscrição. Na ocasião, foram registradas mais de 1,6 milhões de inscrições.

Até o ano de 2003, o objetivo do Enem continuou o mesmo. Por sua vez, na edição de 2004, as provas também começaram a ser critério de classificação no processo seletivo do ProUni (Programa Universidade para Todos), registrando aproximadamente 1,5 milhão de inscritos.

Na edição de 2009 aconteceu a primeira grande mudança na estrutura e no objetivo do Exame, quando o Ministério da Educação (MEC) desenvolveu o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), um programa que seleciona os candidatos para cursos superiores em instituições públicas de ensino.

A partir de 2009, várias universidades de todo o país começaram a extinguir seus tradicionais vestibulares para, então, utilizar do Exame em seus processos seletivos, através do Sisu.

No mesmo ano, as provas deixaram de ser corrigidas por quantidades de acertos. Desde então, sob a gerência do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), é utilizada a TRI (Teoria de Resposta ao Item).

Em 2014 foi quebrado o recorde de inscrições confirmadas no Enem: mais de 8,72 milhões. No ano de 2018, foi registrada uma queda na quantidade de inscritos: 5,5 milhões.

Qual a estrutura e como é feita a correção das provas do Enem?

Resultado do Enem 2019
Qual a estrutura e como é feita a correção das provas do Enem?

Desde 2009, as provas do Enem são constituídas por uma redação de caráter dissertativo-argumentativo e 180 questões de múltipla escolha, divididas igualmente entre quatro áreas de conhecimento, que abrangem as seguintes matérias:

  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação;
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias: História, Geografia, Sociologia e Filosofia;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Física, Química e Biologia;
  • Matemática e suas Tecnologias: Matemática.

As questões das provas são de múltipla escolha, com cinco alternativas cada (A – E). Os enunciados das perguntas costumam exigir interpretação e concentração dos candidatos, sendo na maioria das vezes considerados um tanto quanto extensos e cansativos.

Tomando como base a TRI, a correção das provas não contabiliza apenas a quantidade de acertos e erros dos participantes. Ela, por mais difícil que pareça ser compreender, penaliza os candidatos que chutam muitas respostas.

Na Teoria de Resposta ao Item, as questões recebem pesos diferentes, de acordo com seus níveis de dificuldade. Assim, é possível analisar o aproveitamento do estudante nas questões fáceis, intermediárias e difíceis.

Se o participante acertar uma maior quantidade de perguntas difíceis do que as consideradas fáceis e intermediárias, é certo que o mesmo chutou a maioria das respostas. Assim, o estudante é penalizado em sua nota final.

Para ter um bom aproveitamento no Exame, o candidato precisa apresentar uma hegemonia em suas respostas, com o maior possível número de acertos nas questões fáceis unido a um bom aproveitamento nos itens de maior dificuldade.

Quais as notas mínimas e máximas no Enem? Como é corrigida a redação?

Quais as notas mínimas e máximas no Enem? Como é corrigida a redação?

Com base na TRI, é impossível pré-estabelecer uma nota mínima e máxima para as provas do Exame. Assim, os estudantes somente tiram nota zero caso faltem no dia de aplicação ou não preenchem o gabarito.

Em algumas ocasiões, candidatos já atingiram mais do que 1000 pontos em determinadas áreas de conhecimento.

Após encerrar todas as edições, o Inep divulga um balanço do aproveitamento dos participantes, disponibilizando as notas máximas e mínimas no Enem.

Junto do resultado individual das provas, em cada área de conhecimento, são divulgadas as notas das redações, avaliadas de 0 a 1000 pontos.

A correção da redação do Enem é feita por dois corretores independentes, que avaliam cinco competências, cada uma de 0 a 200 pontos:

  • Domínio da norma padrão da língua portuguesa;
  • Compreensão da proposta de redação;
  • Seleção e organização das informações;
  • Demonstração de conhecimento da língua necessária para argumentação do texto;
  • Elaboração de uma proposta de solução para os problemas abordados, respeitando os valores e considerando as diversidades socioculturais.

A nota final da redação é atribuída através de uma média aritmética entre as notas dos dois corretores, caso não haja discrepância.

As discrepâncias ocorrem quando a diferença entre as notas finais de ambos é maior do que 80 pontos, em qualquer uma das cinco competências, ou ainda se for maior do que 100 pontos na nota final.

Havendo alguma das diferenças, um terceiro corretor avalia a redação. Permanecendo a discrepância entre as notas deste com os dois primeiros corretores, a redação é encaminhada para uma banca examinadora.

A banca, presidida por um doutor, corrige novamente a redação e, enfim, atribui a nota final à redação do candidato.

O edital do Enem ainda estabelece oito ocorrências em que as redações podem ser zeradas ou anuladas: fuga total ao tem; não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa; texto com até 7 linhas; impropérios , desenhos e outras formas propositais de anulação ou parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto; redação em branco, mesmo com texto em rascunho; cópia do texto motivador; assinar a redação fora do local designado e escrever em outra língua que não o português.

Semanas após divulgar o resultado do Enem, o Inep divulga em sua página o espelho das redações corrigidas, para finalidade apenas pedagógica, tendo o estudante a chance de analisar seu aproveitamento e desenvolvimento do texto.

Como são aplicadas as provas do Enem?

As provas do Enem são geralmente aplicadas no mês de novembro. Até o ano de 2016, o Exame acontecia em um mesmo final de semana, ao sábado e domingo.

A partir de 2017, no entanto, as provas começaram a ser aplicadas em dois domingos consecutivos, com a abertura dos portões ao meio dia, fechamento às 13h e início do Exame às 13h30min, levando em conta o horário oficial de Brasília/DF.

No primeiro domingo, são aplicadas as provas de Linguagens e Ciências Humanas, junto da redação, em um novo tempo de 05h30min. Por sua vez, as provas de Matemática e Ciências da Natureza, no segundo domingo, são aplicadas em 04h30min.

Qual o cronograma do Enem 2019?

O Inep irá divulgar o edital do Enem 2019 entre o fim do mês de março e início de abril. Assim, além da confirmação das datas oficiais, também serão conhecidas todas as regras da próxima edição do Exame.

O período de inscrição do Enem 2019 deverá acontecer no mês de maio. Entre o final de abril e início de maio, o Inep provavelmente abrirá um período exclusivo para solicitação de isenção da taxa de inscrição.

Os estudantes de escolas públicas serão automaticamente isentos do pagamento. Além desses, candidatos de baixa renda comprovada também poderão solicitar isenção da taxa.

O cartão de confirmação de inscrição do Enem 2019 deve ser disponibilizado no mês de outubro.

Assim, é provável que a data das provas do Enem 2019 seja os dois primeiros domingos do mês de novembro. O edital com as respostas oficiais as questões será disponibilizado pelo Inep na semana seguinte à aplicação das provas.

O resultado do Enem 2019 será divulgado em meados de janeiro de 2020. Os candidatos poderão utilizar as suas notas nos programas de educação do MEC.

Como participar do Sisu, ProUni e Fies?

Como participar do Sisu, ProUni e Fies?

As inscrições para os processos seletivos do Sisu, ProUni e Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) são abertas consecutivamente, após a publicação das notas do Enem.

Assim, os estudantes de qualquer lugar do país terão o direito de se inscrever no Sisu para concorrer a uma vaga em uma universidade ou instituto federal.

Estudantes com renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa, terão ainda o direito de concorrer a bolsas do ProUni, integrais (100%) ou parciais (50%), em cursos de faculdades particulares de todo o país.

Ainda, candidatos que se encaixarem nos requisitos de renda e acharem viável as oportunidades oferecidas pelo Fies, poderão concorrer ao financiamento de seus cursos em faculdades particulares.Não perca a chance de se inscrever no Enem. Se prepare ao máximo e conte com nosso apoio.

Deixe suas dúvidas nos comentários abaixo e leia outros artigos já publicados em nosso site, além de curtir a página do Enem no facebook! Veja também mais sobre educação em geral no Guia do Aluno!

Tudo sobre o Enem 2019 Exame Nacional do Ensino Médio
4.8 (95%) 4 votos

Leave a Comment

Notícia anterior:

Próxima notícia: